"Outrora eu era daqui, e hoje regresso estrangeiro, /

Forasteiro do que vejo e ouço, velho de mim. / Já vi tudo, ainda o que nunca vi, nem o que nunca verei. /

Eu reinei no que nunca fui."

     

FERNANDO PESSOA

 Ricardo Moutinho, arquitecto nascido em Lisboa e licenciado em Arquitectura pelo Instituto Superior Técnico,

da Universidade Técnica de Lisboa, em 2003 (curso de 5 anos, pré-Bolonha).

 

Após concluir a licenciatura é convidado a realizar um estágio profissional de um ano na Câmara Municipal de Cascais, sob orientação do Arquitecto Diogo Capucho, onde desenvolveu, em co-autoria com os Arquitectos Miguel Vieira e Mariana Parrinha, o projecto para o Novo Recinto de Feiras de Carcavelos. Permanece na mesma instituição por mais

um ano, até Maio de 2006.

 

Em Outubro de 2005 torna-se membro da Ordem dos Arquitectos com o número 13240.
      
Em Junho de 2006 parte para Bilbau, norte de Espanha, para integrar a equipa de arquitectos do atelier ACXT, pertencente à empresa IDOM, maior empresa de engenharia e arquitectura da Península Ibérica e uma das maiores da Europa. Nessa empresa colabora em diversos projectos de índole residencial, cultural, educativa, desportiva, saúde e transportes, desde a fase de concurso até ao desenvolvimento do projecto de execução e à direcção de obra.

De entre os projectos em que participa destacam-se: complexo desportivo Bilbao Arena (1º lugar em concurso público); novo estádio de futebol para o Athletic Club de Bilbao; nova Faculdade de Engenharia Industrial e Minas da Universidade do País Basco; vários edificios de habitação colectiva e social nas cidades de Vitoria e Bilbau, no País Basco (mais de 600 apartamentos construídos); e a nova linha de metro de Riade, na Arábia Saudita. Em simultâneo, desenvolve

diversos concursos da sua autoria em representação do atelier ACXT. Em 2012 inicia também as funções de auditor interno de projectos e passa a integrar a equipa de arquitectos responsáveis pela realização de concursos em França. A partir de 2013 dedica-se a dirigir uma obra de 58 apartamentos sociais em Leioa, Espanha, e um projecto de uma Escola Técnica em Lille, França (resultado de um concurso público ganho esse ano), ambos projectos que assina em co-autoria.

   

Torna-se membro do Colegio Oficial de Arquitectos Vasco-Navarro em Outubro de 2011, com o número 4353.

 

Em 2016 regressa a Lisboa e estabelece-se por conta própria, dedicando-se principalmente a projectos de reformas interiores, reconversão de usos, reabilitações, ampliações e desenho de mobiliário, assumindo todas as fases do processo, desde as primeiras ideias à entrega da obra concluída ao cliente (Projectos "Chave na Mão"). Em simultâneo, desenvolve alguns projectos em co-autoria com a arquitecta Inês Seixas Pinto, sob o nome de atelier AIR Arquitectura. As parcerias que vai estabelecendo com profissionais de várias áreas, tais como topógrafos, engenheiros de especialidades, engenheiros de estruturas, carpinteiros, empreiteiros, entre outros, permitem garantir, sob a coordenação do arquitecto, uma correcta e eficaz execução do projecto e da obra.

Em Novembro de 2017 é convidado a integrar a equipa de assessores do novo executivo da Junta de Freguesia de Avenidas Novas ficando com as áreas de Urbanismo, Espaço Público, Ambiente e Espaços Verdes.